16/05/2010

O Palhaço, Renoir!

Depois de reler A Morte do Palhaço de Raúl Brandão.
x
Renoir, O palhaço Aka James Bollinger Mazutreek, 1868

Óleo sobre tela, 193,5 x 130 cm, Kroller-Muller Museum, Netherlands.


– O homem material - pensava o Palhaço – não existe. A vida é uma convenção. O que existe é o sonho, o sonho é a única realidade. Sonhar!, sonhar!...

Raul Brandão, A Morte do palhaço, 1926

6 comentários:

  1. Gosto muito de Raul Brandão, mas nunca li esse livro. Tenho de ler.

    ResponderEliminar
  2. O livro tem duas histórias. A Morte do Palhaço e a Árvore Misteriosa.
    Julgo que vai gostar! :)

    ResponderEliminar
  3. Até estou envergonhada: nunca li nada de Raul Brandão. Mas atiçaram-me a curiosidade, sem dúvida.
    "A vida é uma convenção". Então não é. Tantas vezes. Demasiadas.

    ResponderEliminar
  4. Se há felicidade que deve ser tentada é a preservação da capacidade de sonhar.

    (Se passares pela nova ala da Estação de Metro do Saldanha, repara as anotações do Almada nas alas da plataforma.)

    bjs

    ResponderEliminar
  5. JPD,
    Obrigada adoro o Almada. Terá a ver com Arlequins e Pierrots?
    Li a peça dele na Revista Athena, se não me engano!
    Bjs :)

    ResponderEliminar

Arquivo