22/05/2010

Não Fora o Mar!, Fernanda de Castro.

Balthasar van der AST,(b. 1594, Middelburg, d. 1657, Delft), Still-Life with Plums, Cherries, and Shells c.1628

Pen and watercolor, 291 x 399 mm , British Museum, London

Não Fora o Mar!

Não fora o mar,
e eu seria feliz na minha rua,
neste primeiro andar da minha casa
a ver, de dia, o sol, de noite a lua,
calada, quieta, sem um golpe de asa.

Não fora o mar,
e seriam contados os meus passos,
tantos para viver, para morrer,
tantos os movimentos dos meus braços,
pequena angústia, pequeno prazer.

Não fora o mar,
e os seus sonhos seriam sem violência
como irisadas bolas de sabão,
efémero cristal, branca aparência,
e o resto — pingos de água em minha mão.

Não fora o mar,
e este cruel desejo de aventura
seria vaga música ao sol pôr
nem sequer brasa viva, queimadura,
pouco mais que o perfume duma flor.

Não fora o mar
e o longo apelo, o canto da sereia,
apenas ilusão, miragem,
breve canção, passo breve na areia,
desejo balbuciante de viagem.

Não fora o mar
e, resignada, em vez de olhar os astros
tudo o que é alto, inacessível, fundo,
cimos, castelos, torres, nuvens, mastros,
iria de olhos baixos pelo mundo.

Não fora o mar
e o meu canto seria flor e mel,
asa de borboleta, rouxinol,
e não rude halali, garra cruel,
Águia Real que desafia o sol.

Não fora o mar
e este potro selvagem, sem arção,
crinas ao vento, com arreio,
meu altivo, indomável coração,

Não fora o mar
e comeria à mão,
não fora o mar
e aceitaria o freio.

Fernanda de Castro, in "Trinta e Nove Poemas" (recolhi no Citador)

Escolhi a pintura por ter o mar de forma implícita e porque visualizo a poetisa a olhar o mar!

No aparador o mar em forma de búzio...

5 comentários:

  1. A pintura é lindíssima, escapando à tradição mais comum da natureza morta. Não conhecia. Obrigada!

    ResponderEliminar
  2. Gostei muito do poema. Creio bem que nos faz pensar naquilo que faz com que não nos acomodemos ou conformemos, seja o mar ou outro agente.
    Muito obrigada, Ana, e bom início de semana!

    ResponderEliminar
  3. www.fernanda-decastro.blogspot.com

    ResponderEliminar

Arquivo