16/07/2015

Peculiar herança





peculiar herança
que o tempo traz
ao perene viajante
inexplicável desejo
de seguir,,,,,,,,,,,,,,,

Myra Landau, Daqui

20 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada, João.
      E há outra mas gostei mais desta.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  2. Aninhasamiga

    Um dia na Roménia, o crítico literário Mihai Stanescu disse-me que Myra Landau apenas nascera em Budapeste e pouco mais tinha que ver com o seu país natal. Era o tempo de Ceausescu e da dona Elena, e Stanescu disse-me a mesma coisa sobre Eugene Ionescu.

    Na verdade ambos saíram da Roménia e notabilizaram-se no estrangeiro. Conheci ambos (vida de jornalista é...) e não gostei nem de um nem do outro. Feitios...

    O teu poste vive, para mim, da bicicleta maravilhosa e do vídeo que não conhecia; mas agora já poso dizer que é excelente.... :-))))

    Qjs do alfacinha

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Henrique,
      É fantástica a sua vida. Felicito-o por isso pois mereceu-a/merece-a. A Myra diz de si própria que não tem nação mas várias. Gosto da Myra e da sua energia. :))
      Obrigada, esta bicicleta faz parte de um projecto social é o III festival do croché social de Coimbra.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
    2. Aninhasamiga

      Só uma adenda: não é a Myra é o Myra...

      Eliminar
    3. Então não falam da mesma pessoa ! A MYRA É a MYRA !!!

      Eliminar
  3. ~~~
    ~~ Que veículo ''hippy'' mais interessante!
    Deve ser de uma discípula da nossa Joana.

    ~~ Apraz-me pensar que transporta uma
    pacifista que aprecia lojas ''Gourmet''. ll: ))

    ~~ A introdução da Myra,
    muito expressiva, combina perfeitamente,
    tal como a música do ''tom de fantasma''...

    ~~~~~ Beijinho, Ana. ~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,
      Pois é. :)) Esta bicicleta faz parte de um projecto social: o III festival do croché social de Coimbra.
      Também gostei destas ligações.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  4. Coisas e Sabores!!!
    A bicicleta decorativa (não funcional) vestida e florida para a função foi uma boa ideia, própria ou cópia? tem uns ruídos adjacentes que a perturbam certamente. É pena não ter havido cuidado na "limpeza" do ambiente em que ela vive e aquela etiqueta...
    Apesar de ser muito bonita a fotografia está melhor. E a música recorda-me um tempo (meu).
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agostinho,
      Também não gostei da etiqueta e podiam ter colocado a informação doutro modo e não no objecto.
      Esta bicicleta faz parte de um projecto social: o III festival do croché social de Coimbra.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  5. Tantas vezes dancei esta música nos bailaricos da aldeia...foram as melhores férias: as férias na aldeia da minha mãe.

    Gosto do poema da Myra e a bicicleta tem um trabalho interessante:) Uma moda que pegou, mas em bicicletas ainda não tinha visto!

    Beijinhos:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel,
      Também a dancei algumas vezes em festas de família e do liceu. :))
      esta bicicleta faz parte de um projecto social: o III festival do croché social de Coimbra. Acho graça, vestem janelas, e vários objectos.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  6. Bicicletas com frio? Aqui também há árvores "vestidas" na Praceta. Da bicicleta gostei e dos versos simples da Myrna e dos Procol Harum - que não dancei como vocês dançaram... beijinhos e bom fim de semana!

    ResponderEliminar
  7. Maria João,
    Achei graça e é por uma boa causa: croché social de duas freguesias de Coimbra.
    Beijinhos. :))

    ResponderEliminar
  8. Não mexer por favor, diz o cartaz. Sonhar apenas, acrescento eu.

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
  9. Ana,
    A bicicleta é uma delícia, muito em especial pelo que representa.
    Quanto à música? Que saudade, que gratificante foi recordar!:)
    Bom fim-de-semana.
    Beijinho

    ResponderEliminar
  10. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderEliminar

Arquivo