17/10/2015

Solidão no dia da erradicação da pobreza

Em Portalegre os idosos e as crianças associaram-se na Praça da República para levantar a voz sobre a erradicação da pobreza. Foram entrevistados vários idosos que vivem no limiar da pobreza ou mesmo em pobreza, com o dinheiro contado e com a ajuda da Misericórdia. É este o país em que vivemos, é caso para dizer que este país não é para velhos nem para jovens, para quem é afinal?
Para uma população activa, que desconta os seus impostos a pensar nos mais velhos e no futuro mas ... sem futuro? 

Na Gulbenkian este Senhor mereceu o meu olhar. 
Partilha o que tem e na sua solidão há apenas a harmonia com a Natureza que o rodeia.


O Dia Internacional da Erradicação da Pobreza celebra-se dia 17 de Outubro.

Piano Casta Diva Ária de Norma de Bellini

24 comentários:

  1. De imediato, felicito-te por esta magnífica imagem, Ana !
    Texto muito justo perante tanta injustiça.
    O Bellini fica para a noite. Deliciar-me-ei, bem sabes.

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, João.
      Vai gostar da parte só instrumental.
      Beijinho.:))

      Eliminar
  2. Que triste! Deus nos guarde!
    E temo que a nível europeu, a situação vá ficar pior...
    Beijinho!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também temo, Sandra.
      Todavia, li que na Dinamarca estão a pensar em diminuir as horas de trabalho sem diminuir salários para que haja mais emprego e mais descontos para a segurança social. Se assim for, estarão a melhorar a qualidade de vida de todos no seu país.
      Beijinhos.:))

      Eliminar
  3. Sempre, por aqui, tivemos a Europa como o modelo ideal do viver bem... Percebo agora que o mundo inteiro vive o desamparo do ser humano: idosos, refugiados, alvos da violência urbana, somos todos um só,bradando por justiça! Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Jane,
      A Europa deixou de ter o brilho que teve há uns anos. A globalização contribuiu para que todos soframos do mesmo.
      Concordo com o que diz.
      Beijinho.:))

      Eliminar
  4. A fotografia é bonita.
    Talvez na sua solidão consiga ser mais feliz que os gananciosos que nunca estão satisfeitos e nada é suficiente para acalmar a ganância que os move. Tenho a certeza que são pessoas que não conseguem nunca transmitir esta calma, esta tranquilidade, que apesar de tudo este senhor transmite.

    Bom fim-de-semana:)
    Um beijinho:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Isabel.
      O Senhor parecia-me em paz e feliz, pelo menos naquele espaço de tempo que ali esteve a dar comida aos patos e pombas de toda a gente mas mais dele do que dos outros.
      Bom Domingo, beijinho.:))

      Eliminar
  5. Terminados que estão os agradecimentos que estavam atrasados no Grifo Planante optei por antecipar a audição desta maravilhosa ária, mesmo sem a Callas.
    A execução é perfeita e deu-me a sensação de escutar os meus lamentos interiores.

    OBRIGADO, ANA !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Também adorei a execução.
      Beijinho. Bom Domingo.:))

      Eliminar
  6. Só os pobres dão milhos aos pombos

    Excelente imagem

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Centrei-me no que disse, É tão profundo o que afirma e contundente.
      Obrigada.
      Bj.:))

      Eliminar
  7. É verdade Ana. E a fotografia é belíssima apesar da tristeza implícita. Bjns!

    ResponderEliminar
  8. ~~~
    ~~ Dias incertos,
    de desassossego e desatentos à efeméride,
    porém, a maioria busca soluções atenuantes.

    ~~ Sempre bela esta ária...
    ~~~~ «Spargi in terra
    ~~~~~ In quella paci
    ~~~~~Spargi in terra»...

    ~~~ Excelente foto, Ana!
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ~ Dias aprazíveis. Beijinhos.
    ~ ~ ~ ~ ~ ~ ~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Majo.
      Uma boa semana.
      Beijinhos.:))

      Eliminar
  9. Passamos
    Senhores da nossa importância
    E nem por um momento
    Só um
    Nos damos conta do vazio.
    Estamos demasiado ocupados a sobreviver.

    Uma boa semana, Ana :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. AC,
      Tem razão, passamos a vida ocupados a sobreviver e esquecemos-nos dos outros. Este Senhor, provavelmente tendo pouco, lembra-se dos animais que o rodeiam, estima-os e alimenta-os.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  10. A imagem é fantástica!!
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  11. Pobre mundo rico, o nosso: que pobreza de riqueza, que riqueza de pobreza!
    Um bom alerta aqui trouxe com este trabalho. A fotografia, nos jardins da Gulbenkian encerra com precisão o aforismo "uma imagem ..." que podem formularem-se de muitas formas; as escolhidas pelo poeta que lavra o mar é uma bofetada sonora na face de muitos. Que cresça a inquietação nas almas da gente. De toda a gente!

    Bj e bfs

    ResponderEliminar
  12. Obrigada, Agostinho.
    Este Senhor é um tesouro que vive em solidão e é a Natureza que o rodeia que lhe acalenta a alma.
    Bj. :))

    ResponderEliminar

Arquivo