20/09/2014

Voa cavalo



Quero um cavalo de várias cores

Quero um cavalo de várias cores,
Quero-o depressa, que vou partir.
Esperam-me prados com tantas flores,
Que só cavalos de várias cores
Podem servir.

Quero uma sela feita de restos
Dalguma nuvem que ande no céu.
Quero-a evasiva - nimbos e cerros -
Sobre os valados, sobre os aterros,
Que o mundo é meu.

Quero que as rédeas façam prodígios:
Voa, cavalo, galopa mais,
Trepa às camadas do céu sem fundo,
Rumo àquele ponto, exterior ao mundo,
Para onde tendem as catedrais.

Deixem que eu parta, agora, já,
Antes que murchem todas as flores.
Tenho a loucura, sei o caminho,
Mas como posso partir sozinho
Sem um cavalo de várias cores? 

Reinaldo Ferreira, Poemas, Estudo de José Régio, Prefácio de Guilherme de Melo. Lisboa: o chão da palavra/poesia




14 comentários:

  1. E os desenhos são muito bonitos, Ana !

    Um beijo amigo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, João.
      Apanhei-os a viajar de carro.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  2. Sempre achei formidáveis os desenhos de Lascaux, porque os cavalos não correspondem, de todo, a pinturas naif; estes também não são naif, antes pelo contrário, quem os fez, sabia muito bem a dinâmica e a anatomia do cavalo em movimento. Magnífico conjunto.

    Boa noite :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Xilre.
      Tem razão os desenhos de Lascaux não são naif.
      Gostei deste galope feito com mestria.
      Boa noite!:))

      Eliminar
  3. Muito bonito, o conjunto, Ana! Mas isso é hábito neste blog.
    Adoro este poema, até já o usei (http://amariasoueu.blogspot.pt/2014/08/galope.html). :)

    Beijinhos Marianos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Irei visitá-la, Maria.
      Muito obrigada. :))
      Beijinho.

      Eliminar
  4. Quem me dera um cavalo de varias cores mesmo que fosse pintado no muro onde desejo.
    O equilíbrio do voo, Ana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agostinho,
      Também não me importava de voar assim. :))
      Boa noite!

      Eliminar
  5. O poema é muito bonito e o desenho dos cavalos também! É talentoso quem assim desenha!

    Beijinhos:)
    Um bom domingo!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel,
      O poema é muito bonito, os cavalos foi um golpe de sorte.
      Beijinho e bom Domingo!:))

      Eliminar
  6. Gostei da fotografia e dos cavalos - e também gostei muito do poema. Beijinhos!

    ResponderEliminar
  7. Margarida,
    Foi uma questão de sorte ter dado com este magnífico desenho.
    Beijinho grato. :))

    ResponderEliminar

Arquivo