16/09/2017

In Memoriam João MS!

LIBERDADE

(...)
Sou livre, sou livre...
Sinto-me limitado e impotente.
Não durmo nem sonho.
Queria ser livre para amar 
loucamente.
Aqui, sinto-me asfixiar,
estou incapaz, estou louco
Queria gritar até se ouvir
A minha voz nos céus: sou livre! Estou louco.

João Mattos e Silva, Sem Contorno. Lisboa: Edições Excelsior, 1968, p. 51.


Júlio Pomar para o levar na sua viagem, João.


9 comentários:

  1. Respostas
    1. Sim, mas infelizmente não me pude despedir.
      Beijinho.

      Eliminar
  2. A liberdade é uma escolha.
    Difícil é para sempre.

    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é.
      Uma liberdade difícil de entender.
      Beijinho.

      Eliminar
  3. É sempre triste despedir-se. Muita ternura em sua postagem Ana. Beijos.

    ResponderEliminar
  4. Oh!
    Não gosto de despedidas!
    A música é triste!
    Salva-se o cavalo alado!
    beijinho

    ResponderEliminar

Arquivo