09/11/2016

O ritmo antigo que há nos pés descalços

O ritmo antigo que há nos pés descalços

O ritmo antigo que há nos pés descal
ços
Esse ritmo das ninfas copiado
Quando sob arvoredos
Batem o som da dança —

Pelas praias às vezes, quando brincam
Ante onde a Apolo se Neptuno alia
As crianças maiores,
Têm semelhanças breves

Com versos já longínquos em que Horácio
Ou mais clássicos gregos aceitavam
A vida por dos deuses
Sem mais preces que a vida.

Por isso à beira deste mar, donzelas,
Conduzi vossa dança ao som de risos
Soberbamente antigas
Pelos pés nus e a dança

Enquanto sobre vós arqueia Apolo
Como um ramo alto o azul e a luz da hora
E há o rito primitivo
Do mar lavando as costas.

9-8-1914

Ricardo Reis, Odes (Notas de João Gaspar Simões e Luiz de Montalvor). Lisboa: Ática, 1946.


10 comentários:

  1. Penso que nunca tinha lido esse ritmo do Ricardo Reis.
    Muito bem elaborado.


    Um beijo Ana.

    ResponderEliminar
  2. Soube hoje que o espectáculo Riverdance vai ficar uns tempos aqui em Macau no início do ano.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Nesse caso, bom espectáculo.:))
      Beijinho.:))

      Eliminar
  3. É uma dança dramática. Desconhecia o poema. Bom Dia

    ResponderEliminar
  4. Mais um belo post, com tudo brilhantemente conjugado!
    bjs

    ResponderEliminar
  5. A última estrofe é divinamente feliz.
    Este regresso à genuína e primitiva forma de corpos dançando descalços fez-me recordar Sophia.
    Bj.

    ResponderEliminar

Arquivo