24/02/2016

"As portas não têm fechaduras"

Viagens a Itália, 1786-1788, um livro de Goethe que me vai encher as medidas. O trabalho é imenso e o tempo pouco. Certamente demorarei a ler este livro mas o regresso a Itália vale todo o tempo do mundo.

Johann Heinrich Wilhelm Tischbein, Goethe in the Roman Campagna
WikipediaJohann Heinrich Wilhelm Tischbein - Goethe in the Roman Campagna - Google Art Project.jpg

Torbole, 12 de Setembro, depois da ceia
(...)
Fui dar um passeio no fresco da noite, e vejo que me encontro realmente num outro país, numa região totalmente estranha. As pessoas vivem aqui uma vida despreocupada de conto de fadas: primeiro, as portas não têm fechaduras, mas o estalajadeiro assegurou-me que podia ficar tranquilo, mesmo que tudo o que trago fosse de diamante; depois, as janelas têm papel oleado, em vez de vidraças; finalmente, falta aqui uma comodidade muito necessária, de modo que nos sentimos muito próximos do estado de pura natureza.

Johann Wolfgang Goethe, Viagem a Itália 1786-1788.  (Tradução, prefácio e notas de João Barrento). Lisboa: Bertrand Editora, 2016, p. 56.


Não, não me apeteceu ouvir música contemporânea de Goethe. 
A Itália que conheço não é a de Goethe, também não é a da época de Gianni Morandi, aqui novinho, mas foi esta Itália romântica
que me trouxe a saudade de um outro país, numa região totalmente estranha. [onde haja] uma vida despreocupada de conto de fadas ...

Esta versão tem mais qualidade.


Esta versão tem um ambiente mais descontraído, único, mas menos qualidade.

15 comentários:

  1. Tens razão quanto a preferires a versão do You TUBE, Ana.

    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João,
      A do Youtube está melhor mas a segunda é mais intimista. Preferi colocar as duas. É pena o som da primeira não estar na segunda. :))
      Beijinho.

      Eliminar
  2. Prefiro a versão com menos qualidade acústica. Parece-me mais real a juventude do cantor e até alguma falta de hábito frente às câmaras que só fica bem. "Non son degno di te", que as crianças e a maioria dos adultos cantavam sem fazer ideia do que quisesse dizer. E os rapazes copiavam a franjinha do Gianni.

    Não há um país de contos de fadas, a realidade e seu desacerto subjazem à harmonia aparente. Só o imaginário e o amor conseguem tal proeza

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Bea.
      Concordo com a realidade pura da juventude e achei-a deliciosa. :))
      Bom Domingo!:))

      Eliminar
  3. ~~~
    Gostei muito,
    mesmo, muito deste teu 'post, querida Ana.

    Estou emocionada a ouvir o Gianni, pela recordação
    de um tempo que foi melhor para mim...

    ~ ''La vita e l'Italia sono belle!''

    ~~~~~ Beijinhos. ~~~~~~~~~~~~

    ~Ps~
    Ainda há um lugar em Portugal, onde não fecham as portas...
    É na ilha do Corvo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,
      Estive nos Açores, mas infelizmente não fui à ilha do Corvo.
      Obrigada pelas palavras e por se juntar a este gosto por Itália. :))
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  4. Ana, o desejado é bem diferente do real...
    Vamos alimentando o sonho e aproveitando cada instante!
    Gosto muito desta canção de G. Morandi. Um clássico!
    "Boa viagem" a Itália...:))
    Um beijinho.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudia,
      Pois é. Estou a adorar esta viagem.:))
      Beijinho grato. :))

      Eliminar
  5. AS portas devem estar abertas... beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. MJ,
      Também acho. Estou a adorar esta Itália.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  6. Ler é sem dúvida um dos maiores prazeres do mundo, ainda bem que o conservas, mesmo com pouco tempo...o excerto promete e eu fiquei curiosa...
    Adoro esta música, obrigada por ma fazeres recordar!
    Beijinho e sábado lá nos encontramos para outras leituras!
    Beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Graça,
      Obrigada por me teres levado. Adorei o tempo de partilha, o espaço e o livro do Rui.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  7. Quando se alia o prazer ao trabalho, o tempo parece desdobrar-se. Abraços. Boa leitura e bom fim de semana.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Beijinho muito especial Jane e obrigada. :))

      Eliminar
  8. Não há fechaduras invioláveis.
    Pode demorar a ver a combinação, a cifra. O que escondem as letras, as palavras? É pelo som que se desprende que se vai adivinhando sentidos e apetites. Até Morandi, improvável, se soltou.
    BFS

    ResponderEliminar

Arquivo