02/11/2015

O rio corre... as folhas caem

O rio corre... as folhas caem.


Um passeio outonal pelo parque. Um dia tristonho porque o sol não apareceu.


Na noite de 31 de Outubro para 1 de Novembro cumpre-se a tradição do "bolinho", as crianças da vizinhança assaltam as casas mascarados e pedem guloseimas.
Nos dias de hoje, com a globalização, os costumes anglo-saxónicos invadem e generaliza-se o dia das bruxas, uma data para comemorar, mais um motivo para brincar.
Apesar de defensora acérrima da nossa cultura, pela primeira vez, quis surpreender as crianças que costumam bater à porta e fiz (emos) um adereço.
Comprei guloseimas e esperei... mas este ano não apareceram.


Dia 1 de Novembro, dia dos finados, dia de se prestar o culto aos nossos antepassados, morreu o cineasta português José Fonseca e Costa e assim partiu  mais um português, um homem das artes. .

A chuva traz a nostalgia, porém este monstrinho laranja faz-nos sorrir.

Boa noite. :))

Um filme de culto cá por casa.

24 comentários:

  1. Especialmente bonita a tua primeira fotografia.
    Por cá, só na noite de São Martinho, as crianças batem à porta, a cantar as canções do Santo e se dá guloseimas.
    Bjos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que giro. Por cá faz-se de 31 para 1 de Novembro.
      Obrigada, Sandra.
      Beijinhos.:))

      Eliminar
  2. Gostei mito mesmo das fotografias. A sua abóbora ficou bem melhor que a minha :-) Beijinhos!

    ResponderEliminar
  3. Boa referência a um grande criativo e a um grande Homem

    ResponderEliminar
  4. Gostei imenso da perspectiva da tua primeira foto. Diria que a tiraste quase deitada no chão...

    A tua abóbora está muito engraçada!

    Também comprei doces no Lidl (gomas olhos, chocolates morcegos, bombons com um papel com desenho de abóbora...) mas este ano não apareceu ninguém:(
    Amanhã levo os doces para os meus alunos. Já lhes prometi.
    Também não é uma "tradição" que me agrade, mas está a enraizar-se...

    Um beijinho e uma boa semana de trabalho. Começou bem chuvosa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Não, não me deitei, apenas me baixei. Gostei desta folha, quando passei pelo parque.
      Obrigada.
      Vê lá que a 1ª vez que fiz uma surpresa destas, eles não apareceram.
      Por cá é costume cantar-se a pedir o bolinho, agora com a diferença que se mascaram com os costumes anglo-saxónicos.
      Beijinhos.:))

      Eliminar
  5. Magníficas fotografias, Ana!
    Não acho piada nenhuma ao Dia das Bruxas... nem é uma tradição nossa!
    Frio, chuva, escuro... não gosto nada!! Mas durante uns meses, vai ser assim!

    Beijinho e uma excelente semana.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Cláudia.
      Pedir o bolinho é uma velha tradição desta região.
      Quero o sol...
      Beijinho uma excelente semana, também.:))

      Eliminar
  6. Belas fotografias agasalhadas de hallowen e bolinho.

    Apesar do rio que nunca morre,
    e das folhas, que sim, caem, corre
    o Outono de tom menor a arre-
    fecer de cinzento. Chegou eterno
    num rumor d'inverno.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Agostinho.
      Que bonito!
      Boa noite. :))

      Eliminar
  7. Lá para Julho espero dar aí uns passeios pelo parque da cidade.
    Beijinhos.
    Boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Então bons passeios, Pedro. :))
      Beijinhos.

      Eliminar
  8. Há muitos anos, era eu catraio, algures nos meados dos anos 60, na aldeia que foi dos meus pais, lá para os lados de Pombal, era hábito as crianças andarem com uma talegas a pedirem o "bolinho" que consistia de nozes, figos secos, ou os dois misturados (os meus favoritos).
    Vindo de Moçambique fiquei pasmado com esta tradição, mas segui-a à risca, lá consegui que a minha avó me arranjasse uma talega feita de tecido de colchão (daquele que se enchia com folhelho do milho, para colocar nas camas das casas menos abonadas), e comecei a bater que nem desalmado nas portas das casas todas do povoado.
    Claro, como não me conheciam creio que me fartei de levar com a porta na cara, no entanto, lembro-me da tradição como um encanto, e apesar de tudo consegui comer uns belos figos recheados de nozes, sabor que ainda hoje guardo, apesar de não mais andar a pedir o "bolinho" .... se alguém o fizesse na minha vizinhança creio que pouquíssimas portas se abririam ... as cidades não foram feitas para manter tradições :-(
    Uma boa noite e uma boa semana
    Manel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuel,
      Por aqui continua-se a cumprir a tradição, mesmo na cidade, as pessoas abrem as portas e dão o bolinho, pode é não ser bolinho e ser guloseimas diversas. Não sei fazer os bolos tradicionais. :((
      Porém, este ano, pela primeira vez, brinquei e construí uma abóbora, as crianças não vieram, ao passo que nos outros anos, sem abóbora, vieram.
      É pena nas grandes cidades o afecto ser menor.
      Boa tarde. :))

      Eliminar
  9. Estou com problemas com a Net e com a passward. A portabilidade não se concretizou em pleno.
    Veremos amanhã à tarde...
    Lindíssima a tua imagem da folha !

    Um beijo, Ana.

    João Menéres.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, João.
      Espero que consiga resolver o problema rapidamente.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  10. Por entre as pinceladas, com estratégia de cerco, de nostalgia, há sempre um sinal, por pequeno que seja, a abrir uma brecha...
    Post muito bem conseguido, Ana!

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Ah, a foto da folha, que maravilha!!!

      Eliminar
    2. Obrigada, AC. :))
      Beijinho.:))

      Eliminar
    3. Obrigada.
      O Outono nostálgico foi mais sentido pela ausência das crianças. A luz da vela amenizou um pouco, é verdade e aqui está a pequena brecha. :))
      Beijinho.

      Eliminar
  11. A tua bruxinha de haloween está muito bonita! Dantes eram os "santinhos", na minha terra. Fartei-me de andar de porta em porta (só da família...) e tinha sempre broas de milho! E uma tia da minha mãe dava-nos sempre uma moeda de 10 escudos! Uma fortuna no tempo...
    beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Broas de milho, que giro!:))
      10 escudos devia ser muito bom para rechear o mealheiro. O que é que fazia com as poupanças?
      Beijinhos. :))

      Eliminar

Arquivo