15/01/2015

"o tamanho ilude"

A escala é real mas também é ilusão. Não precisamos de muito espaço se a nossa mente voar. Comecei a ler "Veneza pode Esperar, Diário I". Nunca estive em Veneza mas sei que ela pode esperar porque tenho em mim que lá irei. Estive "numa" Veneza ou melhor na "Roma" do Oriente: Goa, terra da cor, da seda e das fragrâncias. Rita Ferro levou-me ao quarto/ sala/ cozinha/ escritório onde vivi em Goa. A vida é a ilusão que dela criamos. 

Em especial para um amigo que vai mudar de casa.

Quarta-feira, 8 de Maio de 2013
23:00 h                                                                                                                       Goa, Sedas


Gosto muito desta casa, para onde me mudei há três meses. Sempre vivi em casas grandes, esta é a mais pequena, mas também é a primeira vez que vivo sozinha, universalmente sozinha. Casaram-se todos: o Miguel, a Marta, o Salvador. Em rigor não preciso de mais espaço. Uma sala, um escritório, um quarto - às vezes sinto-me num hotel, e a ideia diverte-me. A casa tem luz, as pinturas são novas, os armários lacados - gosto de estar aqui. A anterior era maior e o acesso à garagem mais cómodo, mas aprendi a tempo que o tamanho ilude e pode ser uma fraude no bem-estar das pessoas. A escala menor dá-nos outra calma, a ilusão de controlo é maior. (...)
Ainda vivo no Estoril. Como troquei o azul do mar pelo verde da folhagem, não me sinto desfalcada. De manhã, oiço o canto dos pássaros e, ao entardecer, os grandes silêncios do campo.

Rita Ferro, Veneza Pode Esperar, Diário 1,  Lisboa: Dom Quixote, 2014, p. 16-17.


Sadko, uma ópera para mim desconhecida.

8 comentários:

  1. Também é uma das visitas que tenho em agenda - a linda Veneza.
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. É uma viagem obrigatória. :))
      Beijinho.

      Eliminar
  2. O quanto Veneza deve ser especial...
    Vamos viajando dentro de nós, não é, Ana?

    Um beijinho.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é, Cláudia.
      Pelo menos nestes tempos menos simpáticos para os viajantes. :))
      Beijinho.

      Eliminar
  3. Belo texto. Realmente o tamanho de uma casa depende das circunstâncias - por vezes mais pequeno é melhor. Beijinhos!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Margarida.
      Julgo que a autora se sente bem no novo espaço onde recomeçou uma nova etapa.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  4. Respostas
    1. De nada, João.
      Vai ser bom recomeçar.
      Gostou da fotografia?
      Beijinho.:))

      Eliminar

Arquivo