13/01/2015

Afectos que (en)cantam a alma

CANTOR DA ALMA

Chamou-me cantor da alma
Por ser poeta
Por cantar e contar
O que o outro chora
E sente

Que razão terei
Que não esta natureza
Que me embala
E nos envolve?

E chamou-me poeta...

Odete  Semedo

Odete Costa Semedo, Entre o Ser e o Amar. Odete Semedo e INEP, Instituto Nacional de Estudos e Pesquisa, República da Guiné-Bissau, 1996, p.43. Edição bilingue em português e kriol, 
Livros fac-similados do Público.

Diálogos: poesia e prosa, um tudo nada que faz percorrer o pensamento. Por vezes recebemos tanto e damos tão pouco. Obrigada. 

Myra Landau, Jarro vermelho [intitulado por mim]                 
    
Nesta vida que se nos afigura por vezes como um vasto terreno deserto sem marcos de informação, no meio de  linhas de fuga e dos horizontes perdidos, gostaríamos de encontrar pontos de referência, de estabelecer uma espécie de cadastro para iludir a impressão de navegar ao acaso. Então, tecemos laços, procuramos tornar mais estáveis encontros ocasionais. Calei-me de olhos fixos na pilha das revistas. No meio da mesa de centro, um grande cinzeiro amarelo que continha a inscrição: Cinzano.   (...) urgia descobrir um sentido para tudo isto.

Patrick Modiano, No Café da Juventude Perdida. Lisboa: Asa, 2014 (2ª edição), p. 36


22 comentários:

  1. Mais um "poste" cheio de boas referenciais para se fazer o caminho.
    Bom dia, Ana.

    ResponderEliminar
  2. Que lindo poema nos trazes, Ana !...

    Um beijo.

    ResponderEliminar
  3. Tens razão, minha querida! Como são importantes as pequenas grandes coisas que unem! E diz bem Modiano:
    "Nesta vida que se nos afigura por vezes como um vasto terreno deserto sem marcos de informação, no meio de linhas de fuga e dos horizontes perdidos, gostaríamos de encontrar pontos de referência, de estabelecer uma espécie de cadastro para iludir a impressão de navegar ao acaso." E aí vêm os laços, a afectividade, a necessidade da memória...

    ResponderEliminar
  4. Respostas
    1. obrigada querida Ana!@!!!!!!!!! ficou lindo!!!!!
      beijinhos mil

      Eliminar
    2. :)))
      Fico contente que tenha gostado.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  5. Boas escolhas para o post!
    Também coloquei há dias um poema da autora.

    Recebeste muitos postalinhos:)
    Um beijinho:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Isabel.:))
      São lindos.
      Beijinho.

      Eliminar
  6. Aninhasmiga

    Como sempre acontece vim aqui mais uma vez para descomprimir e matar o stress dos dias que vão correndo. Ontem, hoje e amanhã tenho a certeza de que continuarás a tua caminhada sem fim porque é pela cultura, pela beleza e pelo coração.

    Muito obrigado e espero que um dia digas alguma coisa sobre as Crónicas das minhas teclas

    Muito obriado

    Qjs

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Henrique,
      É sempre um prazer vê-lo por cá.
      Beijinho.:))

      Eliminar
  7. Realmente, a sensibilidade, estará sempre presente no sentir dos poetas.
    Lindíssima a pintura de Myra, um misto de exotismo, provocação e beleza, com tal combinação de cores.
    E a música... a combinação perfeita, entre beleza, doçura, intensidade e paixão.
    Adorei as escolhas, Ana!
    Beijinhos
    Ana

    ResponderEliminar
  8. Obrigada, Ana.
    As suas mensagens são sempre especiais.
    Beijinho.:))

    ResponderEliminar
  9. Belíssimo o poema, belíssima a tela, belíssimas as palavras...
    Quase o cabaz completo para se ser feliz...

    Beijinhos.:))

    ResponderEliminar
  10. Cláudia,
    Quase, diz bem.
    Beijinho e que bom ter passado aqui. :))

    ResponderEliminar

Arquivo