07/01/2015

O poder dos livros...

Comecei a ler o livro: No Café da Juventude Perdida de Patrick Modiano. Dá vontade de encontrar um café assim...
Causa, no entanto, alguma nostalgia juntamente com o Inverno. Apetece dizer: Carpe Diem, pega na mochila e parte.
Janelas de Paris


O ano começa no mês de Outubro. É o início das aulas e julgo ser a estação dos projectos. Portanto, se Louki entrou no Condé pela primeira vez em Outubro, foi por ter rompido com uma parte da sua vida  e querer COMEÇAR DE NOVO, como se lê nos romances.

Patrick Modiano, No Café da Juventude Perdida. Lisboa: Asa, 2014 (2ª edição), p. 17.




Três vozes incontornáveis

16 comentários:

  1. Ao ler o post, e ouvir a música, apeteceu-me fazer as malas e dar um saltinho a Paris, ana
    Beijinhos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pedro,
      Apetecia-me muito estar lá a homenagear os que partiram por serem corajosos.
      Beijinho.:))

      Eliminar
  2. Estou de novo limidadíssimo : O Mac foi hospitalizado !

    Um beijo.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. João,
      Que tenha alta rapidamente.
      Beijinho.:))

      Eliminar
  3. Vejo que está a gostar. De facto, Modiano consegue falar desses cafés, mundos passados (e presentes) de um modo natural e com um francês bem cuidado. Gostei do que li dele. Vou ver se arranjo esse também. O poder dos livros é grande! Só ele acabará com a barbárie que nos ameça! Pensar hoje no atentado terrorista ao jornal fracês "Charlie Hebdo" e saber que mataram 12 pessoas dá-me vontade de chorar...
    Um beijo e vivam os livros!!!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria João,
      Também fiquei chocadíssima com o que aconteceu.
      Mal sabia que hoje Paris ia ser o centro das atenções por um motivo tão triste.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  4. Uma ideia interessante - acho que se pode sempre recomeçar, mas não do zero... Beijinhos!

    ResponderEliminar
  5. Ainda não li nada dele, mas já comprei uns livros.
    Paris é uma das (poucas) cidades que gostaria de conhecer. Ainda lá hei-de ir...

    Um beijinho :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Isabel,
      Tens que ir pois é uma cidade linda.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  6. Os livros ainda são o meio mais económico e seguro para viajar, frequentar os locais mais incríveis, sem as confusões dos aeroportos, bagagens transviadas, reticências e etc.
    Hoje o (in)Cultura trouxe-nos uma pitada de expressão francesa. Ainda bem para que não seja esquecida.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agostinho,
      Mal sabia eu que hoje Paris ia estar no coração de tanta gente por um motivo tão triste.
      Boa noite. :))

      Eliminar
    2. No mundo que habitamos está cheio de contradições e interesses egoistas onde nós vamos escorregando levados na enxurrada. Sempre assim foi?

      Eliminar
    3. Já devíamos estar mais crescidos pois estamos no século XXI.
      :(
      Boa noite.

      Eliminar
  7. Ana, para além da referência ao livro de Patrick Modiano, gostei e emocionei-me ao ouvir Paris aqui magnificamente cantado, num dia em que foi tão seriamente ferido no coração e na alma.
    Beijos

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria,
      Diz bem: "ferido no coração e na alma", mal sabia eu que hoje por um motivo tão infame Paris ia estar na boca do mundo.
      Beijinho. :))

      Eliminar

Arquivo