14/06/2011

"Bookcrossing "

Numa ida à Biblioteca Municipal folheei um livro que estava num escaparate fora da sala de leitura. Apesar de ser assídua e de reparar no escaparate, vi pela primeira vez um postal a dizer Bookcrossing, nunca havia reparado que a biblioteca tinha aderido a esta ideia.
A relutância em tirar um livro e trazer foi então vencida e trouxe para casa Anacreontea, Poemas à maneira de Anacreonte.

O Bookcrossing é um clube de livros global, que atravessa o tempo e o espaço. Os seus membros gostam muito de livros e não se importam de se separar deles, libertando-os para que possam ser encontrados por outros. O lema é:

Leve-me consigo
Leia-me
Liberte-me
Depois de o ler volto a liberta-lo. Aqui fica um poema do livro.


Edouard Toudouze, Eros et Aphrodite, 1872





6.


Uma coroa urdia em tempos,

e encontrei, entre as rosas, Eros.

Logo peguei pelas asas,

mergulhei-o no vinho

e de um trago o bebi.

E agora, bem dentro de mim,

com as asas me faz cócegas.

Anacreontea, Poemas à maneira de Anacreonte,Coimbra: Festea, IEC da Universidade de Coimbra, 2010, p.30. (traduçaoCarlos Martins Jesus)

21 comentários:

  1. Já ouvi falar dessa ideia.
    Mas egoisticamente, sou incapaz de me desfazer de qualquer livro.É muito raro fazê-lo.
    Prefiro comprar igual e oferecer, que desfazer-me dos meus livros.

    Um beijinho
    Isabel

    ResponderEliminar
  2. Ana,

    Abrir mão do que passou no estado (físico)é gravar emocionalmente o texto e permitir que o novo faça parte da sua vida.
    Fazemos parte de um grupo assim, é muito bom saber que pessoas que jamais terão condição de comprar livros, possam levá-los para casa e ler, aprender e dividir muitas emoções iguais. É partilha. Que bom que o levou para casa, que bom que outros poderão se maravilhar com este mesmo livro. Não percebemos, mais isso nos ajuda a doar, compartilhar e a permitir que novas janelas se abram. Isso nos ajuda a mudar a vida.

    Bom ter lido esta notícia, ficamos felizes, eu fiquei - cozinheira dos Vurdóns.

    ResponderEliminar
  3. É uma ideia interessante... Gostei do poema. Bj!

    ResponderEliminar
  4. Conhecia o conceito.
    Nunca encontrei um exemplar.
    Provavelmente não fui ao sítio propiciador.

    Há pessoas que compram livros e após a sua leitura., abandonam-os com essa perspectiva.

    Eu sou incapaz dessa atitude.

    Sou possessivo com os livros.
    Uma vez lidos, terão que ser integrados entre aqueles que aqui em casa vão fazendo crescer uma biblioteca da minha vida.

    Quem me dera ter o dobro.

    Bjs, ana

    ResponderEliminar
  5. Isabel,
    Tambem sou apegada aos meus livros mas ja consigo desprender-me deles. Li uns contos fantasticos em que os livros depois de lidos se considerava ja terem cumprido a sua missao e deviam ser queimados.
    Ja dei livros que gostava muito porque pensei ja os li agora podem maravilhar outra pessoa. Normalmente so o faço com alguem de que goste muito e perceba a dor que e perder um livro.
    (Nao tenho assentos)
    Beijinho Isabel e o que diz e pertinente!:))

    Cozinha dos Vurdons,
    Tao bonito o que diz (dizem). Agora cada vez mais penso assim.
    Depois de ler o livro vou coloca-lo na biblioteca, no escaparate, para outros o levarem.
    Beijinhos 1, +4 :))

    Margarida,
    Tambem achei.
    Bjs. :))

    ResponderEliminar
  6. JPD,
    Tambem sou apegada aos livros. tambem me causa dor separar-me deles, e cada vez estao mais caros...
    Tambem tenho a biblioteca da minha vida porque expressa a minha vontade, os meus gostos, os sonhos e as viagens. Porem cada vez mais penso que partilhar e um livro ´´e uma dadiva.
    A minha biblioteca esta caotica, livros por tras de livros, uns em cima dos outros, na vertical e na horizonta. Desde a cozinha aos quartos ha livros por todos os lados. A minha casa anda um pouco caotica por causa dos livros mas eu gosto.
    Bjs. :)
    Estou sem assentos.:(

    ResponderEliminar
  7. Olhe Ana
    admiro-a por conseguir desfazer-se assim de livros que gosta.
    Eu acho que vou morrer assim.Também já não tenho espaço,há livros por todos os lados e não deixo de comprar.
    Deixo de comprar outras coisas, para comprar livros.Claro que não leio nem um quarto do que compro.

    Amo os livros.

    Um beijinho
    Isabel

    ResponderEliminar
  8. Conhecia a iniciativa, mas nunca me deparei com nenhum. Acho que até há locais bem aprazíveis onde os livros são deixados, como bancos de jardim.
    Quanto ao apego aos livros, partilho do que já aqui disseram: tenho um vínculo muito forte com os meus :)

    Quanto ao filme "A Árvore da Vida", gostei realmente bastante, Ana. Remexeu-me as entranhas, para além da enorme beleza que nele encontrei.

    E sem querer alongar-me deixo-lhe uma sugestão para o problema do anonimato, que já resultou: quando iniciar a sessão, verifique se tem activada a função "manter sessão iniciada". Em caso afirmativo, desactive-a. Espero que resulte :)
    Um abraço e uma boa semana!

    ResponderEliminar
  9. Isabel,
    Eu amo os livros e tambem deixo de comprar determinadas coisas para comprar livros.
    Ainda so ha pouco tempo comecei a oferecer, mas como disse, tem que ser a alguem de goste muito e que preserve os livros e lhe de o apreço que eu dou.
    Tambem sou possessiva e ha alguns titulos que nunca conseguiria dar, tal e o amor por eles, mas a iniciativa ´´e brilhante e digna, nao acha? Sei que sim.
    Bjs, Isabel :)

    Sara,
    Conhecia a iniciativa e li porque nunca vi os livros no banco de jardim.

    Ha momentos na vida, Sara que um filme nos toca mais. Eu realmente terei que o ver outra vez.
    As imagens sao belas e algumas delas ja conhecia porque vivo com uma pessoa que trabalha com a imagem de uma forma cientifica.
    Houve qualquer coisa no filme que nao me agradou, ou a narrativa ou os cortes entre o real e a imaginaçao e beleza do realizador, nao sei explicar.
    Nao ha duvida que o filme tem cenas belas.

    Obrigada pelo comentario e pela dica, irei experimentar, Sara, e mais uma vez fico a pensar no filme.
    Beijinhos. :)

    ResponderEliminar
  10. Há sempre um poema

    belíssimo

    desconhecido

    ResponderEliminar
  11. Mar Aravel,
    Pois e e este foi me dado por acaso,
    depois do acaso vou liberta-lo. :)

    ResponderEliminar
  12. Gosto dessa iniciativa.
    Ana, já pode comentar no Contempladora como anónima enquanto não solucionar esse problema.
    Abraço.

    ResponderEliminar
  13. Catarina,
    Obrigada pela gentileza. Ja consegui reolver esse problema, agora so falta o teclado e os assentos,
    Bjs. :)

    ResponderEliminar
  14. Estamos sempre a aprender, ana.
    Nunca tinha ouvido falar na iniciativa.

    ResponderEliminar
  15. Blondewithaphd,

    Obrigada pela visita gosto de a ver por ca!:)

    Pedro,
    ´´E uma iniciativa interessante, nao ´´e? :)

    ResponderEliminar
  16. Não só perfilho, como sou uma entusiasta adepta da ideia. Os livros, como o conhecimento, são para partilhar!
    Um forte abraço e continuação de uma óptima semana! (E obrigada por resistir às dificuldades impostas pelo Blogger)

    ResponderEliminar
  17. Legal descoberta Ana, eu nao conhecia....

    Ando meio atrapalhada ainda em retornar os coments, mas meu lema tem sido "devagar e sempre" ;)

    beijokas

    ResponderEliminar
  18. Ana,

    è uma ideia que funciona por esse mundo fora e já há alguns anos. Não é preciso que nos desfaçamos dos "livros da nossa vida". A ideia é deixar um romance, um livro que até não nos agradou especialmente, mas que pode agradar a outros. Nos hoteis, nos cafés, nos restaurantes, nos cabeleireiros...já encontrei e já deixei. Porque a regra é quendo se leva um, deixa-se outro :)

    ResponderEliminar
  19. Boa noite, ana

    Apenas mais uma notinha sobre os livros, as nossas bibliotecas pessoais:

    1/ Localização de títulos

    Antes de construir a folha de cálculo com a localização por prateleira dos livros, via-me doido para encontrar certas obras.
    Falha de memória visidual atrapalhava muito.

    2/
    Agora, o problema é manter um critério de novas aquisições mais apertado .
    Os livros deveriam custar menos 5€ para que pudessemos comprar e ler mais.

    (Se me permites, deixo uma solução de Base de Dados:
    Nº Ordem; Título; Autor; Editora; Prateleira #xx
    Na lombada, o número de Ordem
    Na primeira página: Número de Ordem e prateleira #xx)
    Finalmente, desejar que a consulta do Excel não falhe quando é necessário consultyar a base;
    Fundamental: fazer backup assiduoa)
    Bjs

    ResponderEliminar
  20. R,
    Obrigada pela visita, gosto de a ver ca! Apoio esta iniciativa e acho-a brilhante.
    Estou com dificuldades em acentuar as palavras. So desejo que nao seja um virus!
    Bom fim-de-semana que se avizinha!:)

    Cris,
    E uma iniciativa bela, a partilha do conhecimento. Que gosto em ve-la por aqui!:)

    George Sand,
    Sim, Conheci-a ha algum tempo mas nao tinha reparado que a biblioteca tinha aderido. So tinha lido e nunca pratiquei. Nao pude deixar livro porque nao levava nenhum mas quando colocar este que trouxe vou levar um comigo!
    Obrigada pela visita, gosto de a ver por ca (desculpe as palavras sem acento! :)

    JPD,
    Tenho que seguir a sua sugestao mas vou demorar imenso a conclu´´i-la e a realiza-la, so depois de fazer um trabalho que tenho em maos, mas o seu conselho e muito valido - obrigada! :)
    Bjs.:)

    ResponderEliminar

Arquivo