31/10/2016

"O Echo"

Ernesto Canto da Maya, Adão e Eva, 1929
Museu Nacional de Arte Contemporânea do Chiado
O Echo


Tão tarde. Adão não vem? Aonde iria Adão?! 
Talvez que fosse á caça; quer fazer surprezas com alguma côrça branca lá da floresta. 
Era p'lo entardecer, e Eva já sentia cuidados por tantas demoras. 
Foi chamar ao cimo dos rochedos, e uma voz de mulher tambem, tambem chamou Adão. 
Teve mêdo: Mas julgando fantazia chamou de nôvo: Adão? E uma voz de mulher tambem, tambem chamou Adão. 
Foi-se triste para a tenda. 
Adão já tinha vindo e trouxera as settas todas, e a cáça era nenhuma! 
E elle a saudá-la ameaçou-lhe um beijo e ella fugiu-lhe. 
- Outra que não Ella chamára tambem por Elle.


Almada Negreiros, in "Frisos" - Revista Orpheu nº1

[Voltar a ler Almada faz-nos esquecer as coisas tristes como a perda de Lobo Antunes.]


Hoje ao clicar no botão do rádio surgiu esta bela canção. Já não a ouvia há muito tempo. Por vezes esquecemos-nos do que é nosso.

12 comentários:

  1. Gostei de tudo - mas sobretudo da escultura de Canto da Maya :-) Bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Gosto muito desta escultura, Margarida.:))
      Beijinho.

      Eliminar
  2. Almada = valor seguro.
    E é nosso tal como Amália e quem a recorda. Que "O Echo" se multiplique.
    Bj.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Tem razão Agostinho,
      Almada é um valor seguro. Adoro a sua personagem. :))
      Bj.

      Eliminar
  3. Muito interessante o texto de AN e da escultura
    - o ciúme como instinto...
    Não posso dizer o mesmo do ''Amália Hoje''...
    Há algo grotesco nestas interpretações tão diferentes
    dos sentires de Amália, que parecem simples usurpações...
    Beijinhos, Ana.
    ~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,
      AN é uma personagem que sempre me fascinou, primeiro Pessoa, mas ele mora lá perto. Acho a rebeldia dele fantástica.

      Quanto à Amália Hoje, gosto da voz e dos Gift. É óbvio, que a Gaivota cantada pela Amália é outra coisa. :))
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  4. Eu lembro-me de ter fotografado na Casa Museu Guerra Junqueiro ADÃO E EVA !
    Não encontro os diapositivos !...

    Um beijo, Ana !

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Que pena, João.
      Mas irá encontrar. Quando for a Lisboa e se for ao Museu Chiado, vai Vê-los à luz da câmara digital. :))
      Beijinhos. :))

      Eliminar
    2. Se não encontrar os diapositivos, resta essa alternativa.
      Muito obrigado,Ana.

      Um beijo.

      Eliminar
  5. Adoro esta música :))
    Pois...há perdas graves como a do Lobo Antunes!
    Fantástico o texto que selecionaste!
    beijinhos

    ResponderEliminar

Arquivo