15/01/2017

Do apolíneo ao dionísiaco

Do apolíneo ao dionísiaco

Salvator Rosa, La menzogna (1635-1673), 

Galleria Palatina di Palazzo Pitti a Firenze
daqui
Imagem relacionada
Apolo nasce virtuoso,
cumpre o destino luminoso.
Dionísio canta pela noite
a sombra e os gracejos do prazer.

Apolo transporta as pautas musicais,
o espanto perante a melodia.
Dionísio traz consigo as uvas e o mel,
a bebida do esquecimento.

Apolo beija as flores da manhã,
escuda com a luz a fragilidade humana.
Dionísio traz a máscara do teatro,
num esgar mostra a verdade e a mentira.

A máscara de Apolo é dourada,
a de Dionísio é negra, da cor do carvão.
Botticelli pintou Apolo
e Caravaggio pintou Dionísio.

Ergo o espelho do chão e vejo
Apolo transformar-se em Dionísio
e Dionísio transformar-se em Apolo.
Apolo e Dionísio são uma e a mesma pessoa.

ana

13 comentários:

  1. Que postagem, ANA !
    O teu poema é de enorme categoria.
    O Vivaldi parece que se excedeu a si próprio.
    O contra-tenor é um espanto.
    A orquestra tem um desempenho fabuloso.

    Muito obrigado !

    Um beijo e parabéns por tudo teres reunido.

    ResponderEliminar
  2. Muito bonito o conjunto poema-vídeo. Os contratenores fazem a minha admiração no bel canto; a voz como que lhes transporta uma tragédia insofismável e a ouvi-la como que esqueço Vivaldi que lhe está na origem.

    Apolínio e dionisíaco não são uma e a mesma coisa, Apolo é um, Dioniso outro; mas existem no mesmo, isso é verdade. Dizia Platão que a arte humana é dirigir os dois cavalos a par um do outro. Equilibrar forças contrárias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Bea,
      Platão é um dos filósofos que mais gosto. Nunca sei se hei-de escrever Dioniso ou Dionísio.
      Boa noite.:))

      Eliminar
  3. Fez aqui uma mistura explosiva, com Vivaldi (a quem não resisto ... nunca!), Jaroussky (a quem é difícil resistir) e, "at last, but not the least", como soe dizer-se, Caravaggio. Alguém resistirá?
    As suas palavras dão forma ao conjunto
    Uma boa semana
    Manel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Manuel.
      É sempre bom vê-lo por cá.
      Uma boa semana. :))

      Eliminar
  4. Sublime, ana, sublime!
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
  5. Maravilhoso poema, Ana!
    Cada vez mais inspirada!
    Beijinho

    ResponderEliminar
  6. Complicado tudo, aparências, máscaras, dualidades? um beijo pela beleza que aqui deixas...

    ResponderEliminar

Arquivo