22/06/2015

Homo fugit velut umbra

Homo fugit velut umbra = O homem foge como uma sombra


 Deus queira que sim...

A vida é muito menos cheia de prosápia do que a morte. É uma espécie de maré pacífica, um grande e largo rio. Na vida é sempre manhã e está um tempo esplêndido. Ao contrário da morte, o amor, que é o outro nome da vida, não me deixa morrer às primeiras: obriga-me a pensar nas pessoas, nos animais e nas plantas de quem gosto e que vou abandonar. Quando a vida manda mais em mim do que a morte, amo os que me amam, e cresce de repente no meu coração a maré da vida.

Paulo Varela Gomes (link)

[Conheci-o em Goa, na Fundação Oriente, por timidez minha pouco convivi com esta pessoa com um P grande.]


No bisogna morire


Passacaglia della vita

O come t'inganni
se pensi che gl'anni
non hann'da finire
bisogna morire


E' un sogno la vita
che par si gradita
e breve il gioire
bisogna morire
Non val medicina
non giova la China
non si puo guarire
bisogna morire


Non vaglion sberate
minacie, bravate
che caglia l'ardire
bisogna morire
Dottrina che giova
parola non trova
che plachi l'ardire
bisogna morire


Non si trova modo
di scoglier'sto nodo
non val il fuggire
bisogna morire
Commun'e il statuto
non vale l'astuto
'sto colpo schermire
bisogna morire


La Morte crudele
a tutti e infedele
ogn'uno svergogna
morire bisogna
E pur o pazzia
o gran frenesia
par dirsi menzogna
morire bisogna


Si more cantando
si more sonando
la Cetra o Sampogna
morire bisogna
Si more danzando
bevendo mangiando
con quella carogna
morire bisogna


I Giovani i Putti
e gl'Huomini tutti
s'hann'a incenerire
bisogna morire
I sani gl'infermi
i bravi gl'inermi
tutt'hann'a finire
bisogna morire
E quando che meno
ti pensi nel seno
ti vien a finire
bisogna morire
Se tu non vi pensi
hai persi li sensi
sei morto e puoi dire
bisogna morire

21 comentários:

  1. A tua foto está muito bonita:)

    Li o texto do Paulo Varela Gomes. Impressiona.
    Que nunca precisemos de saber como reagir perante uma morte anunciada.

    Um beijinho e desejo-te uma boa semana:)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois é Isabel.
      Não imagino a capacidade de luta e a lucidez que é preciso ter.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  2. Aninhasamiga

    O Paulo Varela Gomes é meu Amigo, muito antes de ter estado em Goa como delegado da Fundação Oriente. Na nossa Goa muito conversámos sobre os mais diversos temas. Quando voltei (muito contrariado...) a Lisboa almocei com o Monjardino e disse-lhe que o Paulo estava muito bem em Pangim no bairro das Fotaínhas.

    Foi então que soube que o Paulo ia regressar; tive pena... mas é a vida.

    Foto = excelente

    A Passacaglia della vita = extraordinária.

    Adorei o post.

    Qjs do

    Pernoca Marota

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Amigo Henrique,
      Que partilhas bonitas aqui deixa no seu comentário.
      Cruzei-me algumas vezes com ele. Tomei café e jantei mas foi tudo tão pouco amadurecido.
      O tempo e as circunstâncias foram de passagem.
      Goa é uma lembrança muito carinhosa para mim.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
    2. Obrigada por ter gostado da foto.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  3. Que bela foto logo pela manhã, com essas varandas cheias de flores!! :-)
    Beijinho e continuação de um bom dia!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Sandra.
      Trabalho e mais trabalho cortado pelos momentos de prazer como este em que tirei a fotografia.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  4. Comecei a ler o texto dele mas não onsegui ler todo porque o tema assusta-me muito. O tempo foge, de fato, por isso temos de aproveitá-lo. Beijinhos, Ana!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Margarida,
      É um texto pungente.
      O trecho que escolhi é a vida. Desejo que a vida se prolongue. Se o facto de o colocar aqui lhe prolongar mais a vida, então, que seja uma chaminha entre um mar de luzes.
      Beijinho. :))

      Eliminar
  5. Tenta-se fugir, mas é inevitável... sabemos isso!
    Daí a vida ganhar outro sentido...
    Varadas muito coloridas e bonitas!

    Beijinhos.:))

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Cláudia,
      A fuga será viver a vida, viver no sentido de carpe diem.
      Obrigada.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  6. Aquela varanda e aquelas janelas são um mimo!!
    Beijinhos, boa semana

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada, Pedro.
      Acho que os seus habitantes têm muito bom gosto.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  7. Gostando muito do texto, penso, e acredito, que a morte é outro nome da vida.
    Vi vários documentários feitos por este autor e sorvi-os, é o termo correto, pois o assunto interessava-me muitíssimo; a arquitetura oriental, sobretudo quando se mescla com a lusa, é um campo que me fascina, porquanto deixa transparecer o melhor de vários mundos.
    Quanto aos relógios de sol, bem ... é um campo a que me dedico há muito tempo. Tenho a veleidade de construir um analemático, um dia qualquer.
    Já fiz os cálculos para a construção de um no jardim de uma casa que tinha próximo de Coimbra, acabei por refazê-los, pois deixei essa casa e mudei para o Alentejo, redesenhei-o, mas ainda continua no papel.
    Qualquer dia ganho coragem e ponho mãos à obra. Quero-o com curvas de correção horária, mas tenho de dar os meus cálculos a rever a quem sabe mais que eu, pois não confio.
    Uma boa semana
    Manel

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Manuel,
      Também a arquitectura e a arte oriental me atraem muito. Não vi nenhum programa, com pena minha.
      Fez-me sorrir: sabe que também adoro relógios de sol. Este estava na parede de um mosteiro carmelita, mas é actual.
      Desejo que o seu relógio seja pontual segundo o movimento do sol, terá a hora real da natureza e não a institucionalizada por que nos regemos.
      Uma boa semana. :))

      Eliminar
  8. Belo post sem dúvida cheio do teu sentimento...beijinho

    ResponderEliminar
  9. ~~~
    ~ Agradou-me muito e de maneira muito especial, este ''post''.
    ~ Cerca de 34% da população ocidental, vai enfrentar este mal.

    ~ Convém estarmos
    minimamente preparados psicologicamente para a grande luta.

    ~ ~ Que tudo corra da melhor maneira, para Varela Gomes. ~ ~

    ~~~~~~ Parabéns pela coragem de abordar este tema. ~~~~~~

    ~~~~~~~~ Beijinhos, Ana ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~
    ~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Majo,
      Fico contente que tenha gostado. Julgo que o combate humano, na maior parte das vezes, deve vencer este mal.
      Desejo também o mesmo a Paulo Varela Gomes.
      Obrigada.
      Beijinhos. :))

      Eliminar
  10. ... da sua própria sombra. No entanto, há uma evidência que o homem não consegue iludir é a "existência" da sombra que ensombra; frequentemente na vida e fatalmente na morte.
    E, há momentos que sombra faz revelar o discernimento da verdade. O PVG fá-lo.
    A polaridade da luz e a sua ausência, como tudo e o que somos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Agostinho,
      É um tema difícil.
      Boa noite. :))

      Eliminar

Arquivo